29 Junho 2022, 23:53

Ucrânia: Tenista ucraniana Elina Svitolina recusa-se a defrontar rival russa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A melhor tenista ucraniana de todos os tempos, Elina Svitolina, garantiu hoje que não defrontará a russa Anastasia Potapova na terça-feira, no México, até as entidades reguladoras da modalidade clarificarem a posição sobre a invasão à Ucrânia.

“Espero que as nossas entidades (WTA, ITF e ATP) aceitem as recomendações do Comité Olímpico Internacional (COI) e forcem os atletas desses países a competir sob bandeira neutra e sem mostrarem qualquer tipo de símbolo dos seus países”, escreveu Svitolina, nas redes sociais.

No WTA 250 de Monterrey, a 15.ª da hierarquia mundial tem pela frente Anastasia Potapova, a quem isenta de responsabilidades — tal como aos outros competidores – pela invasão da Rússia ao seu país.

“Não culpo os atletas russos, eles não são culpados por aquilo que se está a passar no meu país. Aliás, o apoio dos atletas desses países tem sido fundamental e quero agradecer-lhes”, frisou.

Os russos Daniil Medvedev, Andrey Rublev e Anastasia Pavlyuchenkova são alguns dos tenistas que já se manifestaram publicamente contra a guerra.

O COI aconselhou as diferentes federações desportivas a excluírem as equipas, seleções e atletas russos e bielorrussos de todos os eventos internacionais.

No ténis, tal como no ciclismo, os atletas só esporadicamente representam o seu país, pelo que se aguarda por uma clarificação das respetivas federações internacionais quanto a esta matéria.

A grande maioria dos tenistas ucranianos já tinha emitido hoje um comunicado, no qual pediam apoio das entidades e uma clarificação das suas posições, lamentando a falta de reação que ainda se verifica.

Marta Kostyuk e Lesia Tsurenko pediram mesmo, entre várias medidas, o cancelamento dos torneios planeados para se disputar na Rússia.

Sem comentários

deixar um comentário