30 Setembro 2022, 00:00

Ucrânia: UE financia pela primeira vez compra de armas e anuncia novas sanções

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Pela primeira vez, a União Europeia vai financiar a compra e entrega de armas e equipamento militar a um país sob ataque, a Ucrânia, anunciou hoje a presidente da Comissão Europeia, que revelou também novas sanções à Rússia.

Numa declaração à imprensa na sede do executivo comunitário, em Bruxelas, Ursula von der Leyen anunciou também “o encerramento do espaço aéreo da UE a aeronaves de propriedade russa, registadas ou controladas pela Rússia”, incluindo os jatos privados dos oligarcas, que “não poderão aterrar, descolar ou sobrevoar o território da UE”.

Von der Leyen acrescentou que os 27 estão a trabalhar para “proibir os oligarcas russos de utilizarem os seus ativos financeiros nos mercados europeus” e anunciou outra sanção inédita da UE, que decidiu proibir no espaço comunitário “a máquina mediática do Kremlin”, para banir “a desinformação tóxica e nociva” lançada por Moscovo na Europa.

“A Rússia Today e a Sputnik [detidas pelo Estado russo], bem como as suas filiais, já não poderão espalhar as suas mentiras para justificar a guerra de [Vladimir] Putin”, disse.

Classificando este como “um momento de viragem”, a presidente da Comissão adiantou que a UE prepara-se também para sancionar “o outro agressor nesta guerra, o regime [bielorrusso] de [Alexander] Lukashenko”, que é “cúmplice neste ataque vicioso contra a Ucrânia” e que será alvo de um “novo pacote de sanções”.

Estes anúncios ocorrem pouco antes do início de uma videoconferência de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, naquela que é a quarta reunião da semana dos chefes da diplomacia dos 27 para discutir a resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Sem comentários

deixar um comentário