19 Setembro 2021, 14:02

U.Dream ensina os jovens a lidar com os problemas da comunidade através do voluntariado

Susana Faria AdministratorKeymaster

Olhar para os jovens como uma solução e não como um problema é a grande missão da U.Dream, um projeto de voluntariado que junta estudantes do Ensino Superior de quatro cidades do País, com o objetivo de lhes dar competências de liderança social e aproximá-los dos problemas da comunidade.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



“As pessoas estão habituadas a ver os jovens como um problema e na U.Dream acreditamos que podem ser a solução na maior parte dos problemas sociais que existem. Os jovens em Portugal estão muitos desligados das suas comunidades. Não sabem qual é o seu papel e não sabem como podem ser uma boa ajuda. Portugal tem as piores taxas de voluntariado europeias e somos o País com a terceira pior taxa de voluntariado”, começa por contar, ao Mundo Atual, Diogo Mendes.

O cofundador da U.Dream, projeto criado em 2013, defende que uma parte deste problema advém do facto de durante todo o percurso escolar não haver “muitas experiências” que ajudem os estudantes a perceber os problemas que os rodeiam e como podem ajudar a resolvê-los.

“Queremos que percebam os problemas das comunidades e que utilizem as suas paixões e competências para resolver essas questões. Desta forma, estaremos a criar condições para os jovens poderem ser verdadeiramente úteis”, salienta Diogo Mendes.

Programa funciona durante um ano e meio

A U.Dream seleciona uma vez por ano jovens de quatro cidades: Porto, Braga, Aveiro e Lisboa, que, posteriormente, são convidados a servir as suas comunidades e a ter experiências sociais em organizações que já existam nas cidades onde estão sediados.

O processo de recrutamento realiza-se, habitualmente, em outubro, através, numa primeira fase, de desafios e ações de impacto social A derradeira prova de fogo, considerada a etapa final de seleção, é uma entrevista onde é avaliado o grau de compromisso de cada candidato. No total, são selecionados 30 estudantes por cada cidade.

Depois de escolhidos, os jovens começam a dedicar parte do seu tempo às causas sociais deste curso gratuito que decorre durante um ano e meio, o equivalente a três semestres, e é dividido entre formações e trabalho no terreno.

“A U.Dream divide-se em três semestres e coloca os jovens a servir em experiências sociais nas grandes cidades, nas organizações que escolherem, dando-lhes momentos de formação semanal que os ajudam a sonhar, a inspirar e a servir”, contou Diogo Mendes.

O responsável frisa ainda que a U.Dream trabalha “com mais de 35 organizações sociais nas quatros cidades, desde associações dedicadas à causa animal, a idosos, até crianças e jovens em risco de exclusão social”.

“Os universitários escolhidos dedicam metade do tempo em que estão na U.Dream às organizações, para conhecerem os problemas e perceberam à «flor da pele» todas as questões que os rodeiam. No fundo é fazer voluntariado em organizações diferentes para desenvolverem empatia” explicou o cofundador, acrescentando que todas as semanas têm formações de transformação pessoal, sendo este um espaço de reflexão, de partilha, onde são trazidas temáticas que não são abordadas no Ensino Superior.

Três semestres, três temas

O curso é dividido por temas, três por cada semestre, sendo que o primeiro é sobre sonhar, onde os participantes têm a oportunidade descobrir quais os sonhos que trazem consigo.

O segundo semestre serve para ajudar a inspirar, onde “explicamos aos jovens como podem ter relações saudáveis, trabalhamos a empatia e gratidão, com o objetivo de inspirar amigos e família a terem comportamentos diferentes”, refere o responsável.

Numa fase posterior, já no final do plano, o tópico abordado é o «servir». Os jovens terão de compreender os problemas que existem no Mundo e como podem colocar os conhecimentos adquiridos ao serviço da ação social.

650 jovens já passaram por esta experiência social

De acordo com Diogo Mendes, ao longo dos últimos nove anos, mais de 650 universitários já concluíram o programa e, neste momento, estão a participar cerca de 250.

U.Dream lança coleção de livros infantis

Além do projeto de voluntariado, a U.Dream tem outras iniciativas como é o caso de uma coleção de livros, que é vendida em escolas, que conta histórias de crianças que são acompanhadas na organização e que padecem de alguma patologia como cancro, paralisia cerebral ou autismo.

A coleção começou com a obra «A Aventura de Nória, o boneco-de-neve», uma história infantil, inspirada no sonho de uma criança com paralisia cerebral.

Em junho, será lançado um novo livro – «As aventuras da Violeta e amigos no jardim zoológico» – que conta a história de Margarida, uma criança também com paralisia cerebral, cujo sonho é o de visitar um jardim zoológico.

No futuro, Diogo Mendes admite que o objetivo é que o projeto “deixe de existir”, pois dessa forma seria um sinal de que “o problema estaria resolvido” e que todos os jovens tinham direito a estas competências e a estes programas.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário