04 Fevereiro 2023, 14:16

UE e Chile acordam reforço da parceria comercial e diálogo político

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bruxelas, 09 dez 2022 (Lusa) — A União Europeia e o Chile acordaram hoje o reforço das relações comerciais, modernizando um compromisso estabelecido há duas décadas, e aprofundando a cooperação e o diálogo político em diversos domínios.


O anúncio do acordo, que encerra cinco anos de negociações, foi feito hoje em Bruxelas, depois de uma reunião entre o Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell, o vice-presidente executivo com a pasta do Comércio, Valdis Dombrovskis, e a ministra dos Negócios Estrangeiros chilena, Antonio Urrejola.


De acordo com a Comissão Europeia, este “acordo-quadro avançado” entre UE e Chile constitui um compromisso histórico e “é de importância geopolítica fundamental”, já que leva a parceria a um nível superior, “a fim de reforçar o diálogo político, aprofundar a cooperação e fomentar as oportunidades de comércio e investimento”.


Bruxelas sublinha que “o acordo coloca valores partilhados como os direitos humanos, o comércio sustentável e a igualdade de género no centro das relações UE-Chile”, além de reforçar a cooperação em desafios globais partilhados, tais como a luta contra as alterações climáticas e o ambiente.


“O estreitamento dos laços económicos com o Chile permitirá à UE diversificar e reforçar a sua resiliência económica, ao mesmo tempo que aumenta as oportunidades de exportação e investimento da UE. Melhor acesso e investimento sustentável em matérias-primas críticas, como o lítio, contribuirão para o avanço da nossa ambição comum de uma transição verde”, lê-se num comunicado do executivo comunitário.


O acordo aprofundará as relações comerciais e de investimento UE-Chile e proporcionará novas oportunidades para as empresas da UE na quinta maior economia da América Latina, estabelecendo que 99,9% das exportações do bloco comunitário serão isentas de direitos aduaneiros, o que deverá aumentar as exportações da União para o Chile em cerca de 4,5 mil milhões de euros.


“Um maior acesso a matérias-primas e combustíveis limpos é crucial para a transição para a economia verde, tais como lítio, cobre e hidrogénio”, acrescenta a Comissão.


União Europeia e Chile celebraram um acordo de associação em 2002, que inclui um acordo comercial abrangente que entrou em vigor em fevereiro de 2003, tendo o comércio de mercadorias entre os 27 e o país da América Latina crescido 163% entre 2002 e 2021, de acordo com dados da Comissão.



ACC // APN


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário