07 Maio 2021, 04:02

Um renovado Parque da Lavandeira com espaços inspirados nas memórias e raízes da cidade

© Amândia Queirós | Mundo Atual
Susana Faria AdministratorKeymaster

A Câmara de Gaia inaugurou hoje a ampliação do Parque Municipal da Lavandeira, localizado em Oliveira do Douro, um espaço que fica disponível ao público e é inspirado naquilo que são as “memórias” e “raízes” de toda uma cidade.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O Parque da Lavandeira abriu com mais 40 mil metros quadrados de uma área adquirida pela autarquia gaiense, graças à negociação com a família proprietária da Quinta da Lavandeira, que cedeu o espaço, através de um contrato de aquisição.

“Fizemos um contrato e eles partilharam connosco aquele que é o seu maior recurso e continuará a ser da família e a ter as memórias do Conde Silva Monteiro que escolheu Gaia para fazer a sua vida e para instalar este extraordinário espaço”, começou por dizer o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues.

Neste espaço “ainda em construção” onde o ar puro invade os nossos pulmões e o som dos pássaros ofusca os barulhos que fazem parte do quotidiano urbano, é possível encontrar a natureza no seu estado puro, refletida num lago e entre as raízes das árvores que “aguentam com toda a força as intempéries”.
Durante a visita ao parque e sob o olhar atento dos curiosos que por ali passavam à procura de um refúgio na natureza, Eduardo Vítor Rodrigues afirmou que não é lei da gravitação universal “que nos agarra ao solo”, mas sim uma atração “que puxa as pessoas, as raízes que funcionam como uma força gravitacional, meio poética e existencial”.

“Este parque é a imagem do que pode acontecer a partir das nossas raízes, inspirado naquilo que são as nossas memórias e uma cidade que queremos que seja assim, com raízes próprias”

A ampliação, que começou no verão passado e representa um investimento municipal de 2,5 milhões, inclui também uma estufa neogótica de ferro fundido, cuja reabilitação vai avançar com o objetivo de articular “uma dimensão bucólica contemplativa da natureza com uma cafeteria de charme e com uma zona de aquisição de objetos ligados ao ambiente”.

Cenário idílico à beira douro já pode ser visitado pelos gaienses

O dia foi marcado pela abertura ao público de obras importantes para o concelho, pois junto à reserva do Estuário do Douro, em Canidelo, foi também inaugurado o Parque de S. Paio, que é considerado o maior na Área Metropolitana do Porto.
Localizado num cenário idílico onde o mar e rio se encontram, o Parque S. Paio, da autoria do arquiteto Sidónio Pardal, representa para o presidente da Câmara de Gaia “uma obra de arte”.

O espaço que anteriormente era um “silvado” com “pedras desorganizadas” deu origem a um parque desenhado pelo arquiteto Sidónio Pardal, onde foram colocadas de forma harmoniosa estruturas de pedra e plantações que respeitam a área e podem ser “pisadas” pelos visitantes.
A construção do parque foi dividida em duas fases e este é o culminar da primeira, sendo “apenas uma pequena parte do que ainda está por vir”.

“Foi um projeto interessante, pois quando queremos contruir algo, o objetivo é que isso seja feito num sítio diferente e isolado do exterior. Aqui temos um local complemente diferente”, salientou o arquiteto, referindo que o desafio foi transformar tudo para que ficasse igual e “para que as pessoas que têm memória deste sítio, não se sentissem traídas.”.

A segunda etapa ainda está em “pré-projecto” e diz respeito a uma macha arbórea que está a será consolidada com a ajuda do arquiteto Sidónio Pardal.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Eduardo Vítor Rodrigues frisou que dos oito hectares que fazem parte integral do espaço, apenas três abrangem esta primeira fase e, no total, representam um investimento municipal de 3,5 milhões de euros.
O autarca lembrou ainda que a obra de requalificação do Jardim Soares dos Reis está concluída no próximo sábado, dia 10, data da inauguração do espaço.

Sem comentários

deixar um comentário