04 Dezembro 2021, 10:03

UNITA realiza XIII congresso até 04 dezembro

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Luanda, 20 out 2021 (Lusa) – O principal partido da oposição angolana, UNITA, anunciou hoje que o seu XIII Congresso, em que será escolhido um novo líder para o partido, será realizado até 04 de dezembro de 2021.


A decisão foi tomada hoje na primeira reunião extraordinária da comissão política da União Nacional para Independência Total de Angola (UNITA), o órgão deliberativo mais importante entre congressos e anunciada por Clarice Caputo. ???????


Da agenda da reunião de hoje da comissão política constaram vários pontos, incluindo a análise do contexto político, tendo em conta as implicações do acórdão 700/2021 do Tribunal Constitucional e ratificação de vários atos do partido, tais como a interpretação dada ao acórdão e a transição de pastas entre Adalberto da Costa Júnior e Isaías Samakuva, eleito no XII Congresso, que reassume a presidência até à tomada de posse do novo presidente, a ser eleito no XIII Congresso.


A necessidade de realização de um novo Congresso foi aprovada com 222 votos favoráveis, um voto contra e 11 abstenções.


A I reunião extraordinária da Comissão Política rejeitou também “a intromissão do Tribunal Constitucional na gestão da vida interna do partido, cuja autonomia lhe é reconhecida” e mandatou o presidente do partido para proceder às nomeações dos cargos de direção e chefia do partido ao nível nacional e provincial para permitir um funcionamento normal antes do congresso.


A marcação de um novo congresso surge na sequência da anulação do XIII Congresso, em que foi eleito Adalberto da Costa Júnior, pelo Tribunal Constitucional, que deu razão a um grupo de supostos militantes do partido do “Galo Negro” que pediam a destituição do presidente devido a alegadas irregularidades registadas no congresso, designadamente o facto de ter concorrido sem renunciar à nacionalidade portuguesa.


Adalberto Costa Júnior tornou-se o terceiro presidente do partido, em 15 de novembro de 2019, conquistando mais de 50% dos votos num universo de 960 eleitores e vencendo quatro candidatos: Alcides Sakala, Raul Danda (falecido este ano), Kamalata Numa e José Pedro Catchiungo.


O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder há 46 anos e que a UNITA, principal força da oposição quer derrotar nas eleições gerais de 2022, tem também congresso agendado para a escolha do líder entre 09 e 11 de dezembro.


 


RCR // VM


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário