04 Julho 2022, 01:09

Vasco Cordeiro é candidato único nas eleições de hoje e de sábado para liderar PS/Açores

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Ponta Delgada, Açores, 22 abr 2022 (Lusa) — O atual presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, é o candidato único à liderança regional do partido nas eleições internas que se realizam hoje e no sábado.


Aos 49 anos, Vasco Cordeiro, que sucedeu a Carlos César em janeiro de 2013 à frente da estrutura regional do PS, concorre a um quarto mandato, depois das reeleições em 2016 e em 2018.


Na votação que realiza entre as 10:00 de hoje e as 20:00 de sábado, de acordo com o calendário definido pelo partido para cada secção de voto, vão também ser eleitos os delegados ao XVIII Congresso Regional do Partido, agendado para o período entre 27 e 29 de maio na ilha do Faial.


Vasco Cordeiro é atualmente deputado regional do PS na Assembleia Regional da Região Autónoma dos Açores.


O socialista foi eleito presidente do Governo Regional dos Açores pela primeira vez em 2012 e reeleito em 2016.


Em 2020, Vasco Cordeiro ganhou as eleições regionais mas ficou sem maioria absoluta no parlamento açoriano, perdendo o poder para a atual coligação pós-eleitoral de direita, formada pelo PSD/CDS-PP/PPM, com acordos parlamentares com o Chega, o deputado independente (ex-Chega) Carlos Furtado e Iniciativa Liberal.


Segundo o PS/Açores, o ex-presidente do Governo dos Açores formalizou, no início de abril, a candidatura à liderança do partido, “com mais do dobro das 300 subscrições mínimas previstas estatutariamente.


Eleito pela primeira vez em 2013 como líder do PS açoriano, Vasco Cordeiro cumprirá o quarto mandato, se for reeleito.


Nas eleições para o PS/Açores de 2018, foi reeleito com 97,89% de votos a favor.


Na apresentação pública da candidatura, o líder do PS/Açores defendeu que a geringonça nacional, socialista (com o BE e o PCP), funcionou, e que a dos Açores, de direita, está a “agravar” a situação social e económica do arquipélago.


“A geringonça nacional resolveu problemas, recuperou económica e socialmente o país. Esta geringonça [nos Açores], está a agravar as circunstâncias sociais e económicas da nossa região. Essa é uma diferença fundamental que faz com que haja degradação das instituições, um clima de desânimo e a uma desilusão”, declarou Vasco Cordeiro.


O socialista justificou a recandidatura “porque os Açores não estão, nem podem estar, condenados a este estado de degradação, de desilusão e de desânimo para o qual são diariamente arrastados pelo atual Governo Regional”.


Disse, ainda, querer “liderar uma alternativa séria, competente, capaz e motivada ao crescente pântano político que se vive atualmente”.


“Aquilo que sobra em arrogância e demagogia ao Chega, falta em coragem política ao Governo Regional para pôr toda esta situação em ‘pratos limpos’, referiu o dirigente.


Vasco Cordeiro, formado em Direito, nasceu na ilha de São Miguel, na freguesia da Covoada, do concelho de Ponta Delgada, em 28 de março de 1973.



ACG (JME) // MCL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário