03 Julho 2022, 18:37

Vistos ‘gold’: Investimento captado em dezembro sobe 52% para 42,1ME

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 12 jan 2022 (Lusa) – O investimento captado através dos vistos ‘gold’ aumentou 52% em dezembro, face a igual período de 2020, para 42,1 milhões de euros, de acordo com dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).


Em dezembro de 2020, o investimento ascendeu a 27,7 milhões de euros. Face a novembro de 2021 (46,6 milhões de euros), o montante captado por via do programa de Autorização de Residência para Investimento (ARI) caiu 9,6%.


No mês passado, foram atribuídos 84 vistos ‘gold’, dos quais 71 em aquisições de bens imóveis (35 para reabilitação urbana) e 13 por via de transferência de capital.


O investimento em compra de bens imóveis totalizou em dezembro 35,6 milhões de euros, dos quais 11,9 milhões em reabilitação urbana, enquanto na transferência de capital o montante atingiu 6,5 milhões de euros.


No mês passado, foram atribuídos 14 vistos ‘dourados’ à China, 13 aos Estados Unidos, 11 ao Brasil, 10 à Rússia e quatro ao Reino Unido.


Em termos acumulados, o investimento pelos vistos ‘gold’ caiu 28,7% no ano passado, face a 2020, para 460,8 milhões de euros.


No ano passado foram atribuídos 865 vistos ‘dourados’, dos quais 55 em janeiro, 100 em fevereiro, 73 em março, 98 em abril, 52 em maio, 67 em junho, 41 em julho, 64 em agosto, 61 em setembro, 87 em outubro, 83 em novembro e 84 em dezembro.


Desde que o programa de concessão de ARI foi lançado, em outubro de 2012, foram captados por via deste instrumento 6.099.799.479,59 euros. Deste montante, a maior parte corresponde a compra de bens imóveis, que totalizava até dezembro 5.507.194.225,00 euros, sendo que a aquisição para reabilitação urbana somava 362.502.992,45 euros.


O investimento resultante da transferência de capitais é de 592.605.254,59 euros.


Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento estrangeiro, foram atribuídos 10.254 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018, 1.245 em 2019, 1.182 em 2020 e 865 em 2021.


Em mais de nove anos foram atribuídos 9.585 vistos por via de compra de imóveis, dos quais 1.009 tendo em vista a reabilitação urbana.


Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos foram 649 e 20 por criação de postos de trabalho.


Desde o início do programa foram atribuídas 17.221 autorizações de residência a familiares reagrupados, das quais 1.171 em 2021.



ALU // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário