14 Maio 2022, 00:26

Wall Street fecha em forte alta a festejar de forma paradoxal a subida dos juros

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Nova Iorque, 04 mai 2022 (Lusa) — A bolsa nova-iorquina fechou hoje em forte alta, festejando de forma paradoxal a subida em meio ponto percentual da principal taxa de juro da Reserva Federal (Fed), porque isso afasta por agora endurecimentos mais severos da política monetária.


Os resultados definitivos de sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average ganhou 2,81%, para os 34.061,06 pontos, o tecnológico Nasdaq progrediu 3,19%, para as 12.964,86 unidades, e o alargado S&P500 avançou 2,99%, para as 4.300,17.


“Foi a festa em Wall Street. Os rendimentos obrigacionistas recuaram. Por fim, a Fed acabou por não ser tão ‘falcão’ quanto isso”, comentou Joe Manimbo, do Western Union.


“Isto revela-se no facto de a Fed parecer excluir uma subida de 0,75 pontos percentuais” (75 pontos-base ou 0,75%) no futuro, notou este analista.


Mesmo que tenha decidido uma subida da sua principal taxa de referência em 50 pontos-base, como esperavam os investidores — o que representa uma novidade desde há mais de 20 anos -, o comité de política monetária da Fed (FOMC, na sigla em Inglês) pareceu mais circunspecto sobre a eventualidade de uma subida mais severa, de 75 pontos-base, que era temida pelos investidores.


Uma subida da taxa de juro de referência, em 0,75 pontos percentuais, “não foi ponderada, de todo”, disse o presidente da Fed, Jerome Powell, durante uma conferência de imprensa, feita depois da divulgação da decisão do FOMC.


Assim, o intervalo de variação desta taxa passa a ser o situado entre 0,75% e 1,0%, mas outras subidas com uma amplitude de 50 pontos-base “estão na mesa para as duas próximas reuniões” do FOMC, em junho e julho, avançou Powell.


“Isto coloca a questão de saber o que se vai passar em setembro. Vai ser preciso ver os dados, se a inflação se modera”, sugeriu o analista do Western Union.


O balanço da Fed também vai começar a ser reduzido, a um ritmo de 47,5 mil milhões de dólares por mês, a partir de 01 de junho, durante três meses, após o que o ritmo passa para 90 mil milhões, uma forma de encarecer o custo do crédito para conte a procura e a subida dos preços.



RN//RBF


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário